Categorias

Arquivo

Tweets

Parceiros

Um dos eventos mais importantes de 2021 está próximo

Um dos eventos mais importantes de 2021 está próximo

Saiba mais informações sobre o evento em: 12seminario.unidas.org.br
Vendas online Facplan. Digital e flexível para você vender muito mais.

Vendas online Facplan. Digital e flexível para você vender muito mais.

O módulo de Vendas Online do FacPlan chega para facilitar a sua vida em todos os sentidos.- Sem necessidade de integração- Sem necessidade de outro fo...
Grupo Fácil na Fintouch

Grupo Fácil na Fintouch

Saiba mais sobre a Fintouch aqui: https://www.abfintechs.com.br/fintouch
FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile + FacCred O FacMobile cria a conexão perfeita entre as instituições financeiras e seus associados/clientes. Uma fe...
FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

Com o FacPlan, você tem as ferramentas que precisa para  aperfeiçoar o relacionamento com os clientes, reduzir custos e melhorar seu...
FacCred - Software para Instituições Financeiras

FacCred - Software para Instituições Financeiras

O FacCred é um software integrado de gestão empresarial ERP, desenvolvido para automatizar de forma flexível, segura e altamente ...
Ouvidorias  - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Ouvidorias - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Você sabe o que é a RN 323? A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) determina através da Resoluç&atil...
ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

  A Troca de Informações na Saúde Suplementar - TISS foi estabelecida como um padrão obrigatório para as tro...

Cartão de crédito: abusos das empresas e bancos podem elevar dívidas

O Governo resolveu endurecer o jogo contra as operadores de cartão de crédito. A principal razão do descontentamento do Governo é o registro crescente de abusos por parte de bancos e operadoras, ao mesmo tempo em que novos consumidores passam a utilizar cada vez mais os cartões de crédito.

O Governo verificou que existem mais 30 milhões de novos consumidores aptos a utilizar cartões de crédito. São 25,9 milhões de pessoas que migraram das classes D e E para a classe C, entre 2002 e 2008. E 5,3 milhões de consumidores que foram da classe C para a B, no mesmo período.

O problema é que essa migração coincide com abusos cada vez mais constantes pelos bancos e operadoras de cartões e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer medidas de proteção a esses novos consumidores. A avaliação é a de que são consumidores, em sua maioria, humildes e que estão pagando a mais pelos serviços, sem saber as razões das tarifas.

O Ministério da Justiça verificou que os cartões de crédito correspondem a 36,5% de todas as queixas que são registradas nos Procons envolvendo assuntos financeiros. Existe um número tão grande de tarifas que os técnicos da Justiça acreditam que, ao invés de consumir pelo cartão, as pessoas vão acabar pagando dívidas.

E boa parte dessas dívidas vêm de cobranças abusivas. Há desde a bitarifação, como a cobrança de anuidade e a de manutenção de conta, até tarifas que o Ministério nem sabe identificar o que são, como "tarifa de saque emergencial", "programa passaporte", "pague cartão" ou "cash by phone".

"A maioria dos consumidores não sabe as razões dessas cobranças, mas o pior é que nem as atendentes das empresas conseguem explicá-las" , advertiu Ricardo Morishita, diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça. "Nós chamamos essas tarifas de SPP, ou 'Se Pegar, Pegou'".

Para o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, está havendo o enriquecimento ilícito de empresas, em detrimento do poder e dos direitos dos consumidores. "São máquinas de sugar dinheiro da população. Não podemos mais permitir que esse setor seja tão desregulamentado", enfatizou o ministro.

Ele contou que o presidente Lula ficou bastante preocupado com essa situação e determinou a adoção de providências imediatas. O temor do governo é que os novos consumidores se afundem em tarifas. Assim, o que seria a oportunidade de comprar e estimular a economia pode se transformar numa situação de superendividamento da população.

"O presidente quer evitar que a prosperidade se transforme numa crise pelo uso do crédito", resumiu Barreto. "Está ocorrendo uma apropriação do dinheiro dos consumidores de maneira inadequada.

"O Ministério da Justiça avaliou que o mínimo que o setor de cartões pode fazer é fixar regras claras para a adoção de tarifas. Morishita deu como exemplo o processo de regulação das tarifas bancárias pelo Banco Central. O Conselho Monetário Nacional (CMN) editou uma resolução e fixou o que pode e o que não pode ser cobrado.

Para o diretor do DPDC, falta uma norma para proibir o envio de cartão não solicitado. Isso está acontecendo em grandes redes do varejo, que oferecem cartões como se fossem da loja, mas, na verdade, há tarifas embutidas. Também não há regras claras para definir a cobrança de anuidade.


Fonte: Agência DIAP - 21/04/10

Share

Comment function is not open