Categorias

Arquivo

Tweets

Parceiros

FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile + FacCred O FacMobile cria a conexão perfeita entre as instituições financeiras e seus associados/clientes. Uma fe...
FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

Com o FacPlan, você tem as ferramentas que precisa para  aperfeiçoar o relacionamento com os clientes, reduzir custos e melhorar seu...
FacCred - Software para Instituições Financeiras

FacCred - Software para Instituições Financeiras

O FacCred é um software integrado de gestão empresarial ERP, desenvolvido para automatizar de forma flexível, segura e altamente ...
Ouvidorias  - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Ouvidorias - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Você sabe o que é a RN 323? A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) determina através da Resoluç&atil...
ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

  A Troca de Informações na Saúde Suplementar - TISS foi estabelecida como um padrão obrigatório para as tro...
Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Seguindo uma forte tendência na área de produtos e serviços de TI para empresas, a Fácil Informática está ofe...
 FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

O seu software vira outro tipo de sistema quando você mais precisa? Auge das vendas, equipes a todo vapor e na hora H ele não funciona c...
A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A  sua agência de turismo opera câmbio vende/compra moeda ou cartão pré-pago de viagem?   O Banco Central do Bra...
FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

O FacGeo é uma ferramenta desenvolvida para o atendimento à Resolução Normativa (NR) 285 da ANS, que permite a divulga&cce...

Brasileiros com maior renda pagam 30% menos tributos

Pesquisa divulgada nesta quinta-feira (27) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) revelou que a parcela com maior renda da população tem um esforço tributário 30% inferior à parcela com menor renda.

De acordo com os dados, que constam no estudo "Política Fiscal e Justiça Social no Brasil: O caso do IPTU", no Brasil, a carga dos tributos diretos (renda e patrimônio) incide progressivamente, sendo maior para aqueles com maior renda, enquanto a carga dos tributos indiretos (consumo) incide regressivamente, sendo maior para aqueles com menor renda.

No caso da tributação direta, o ônus suportado por quem tem mais renda é quatro vezes maior do que o suportado por quem tem menos renda. No caso dos tributos indiretos, por sua vez, aqueles que ganham menos pagam três vezes mais do que os com rendimento maior.
Porém, o estudo mostra que, como o volume de recursos mobilizado pelos tributos indiretos é bem maior, a tributação geral no Brasil acaba sendo regressiva, pesando mais sobre quem tem menor renda.
O caso do IPTU
O estudo revela que, em meio à discussão, não pode-se deixar de lado o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano), que deveria incidir sobre o patrimônio e, portanto, ser maior nas classes mais abastadas, mas que não cumpre com esse papel.
 A tabela abaixo mede a incidência do imposto em cada décimo de renda da população: dos 10% mais pobres (1º décimo) aos 10% mais ricos (10º décimo), segundo o índice de Gini.
Fonte: Ipea
Décimo de renda
Incidência IPTU
1,8
0,6
1,1
1,0
1,1
1,4
1,4
1,8
1,5
10º
1,4
 
"Em suma, o IPTU, no Brasil, além de representar uma presença modesta em relação à tributação e à renda, não consegue exercer a sua função primária, sendo um imposto sobre o patrimônio - ou seja, promover a distribuição de renda. Isso sem falar na sua importância para democratizar a propriedade, preservar o espaço urbano e evitar a especulação imobiliária", descreve o estudo.
 
Fonte: Em tempo real - 28/08/09

Share

Comment function is not open