Categorias

Arquivo

Tweets

Parceiros

FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile + FacCred O FacMobile cria a conexão perfeita entre as instituições financeiras e seus associados/clientes. Uma fe...
FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

Com o FacPlan, você tem as ferramentas que precisa para  aperfeiçoar o relacionamento com os clientes, reduzir custos e melhorar seu...
FacCred - Software para Instituições Financeiras

FacCred - Software para Instituições Financeiras

O FacCred é um software integrado de gestão empresarial ERP, desenvolvido para automatizar de forma flexível, segura e altamente ...
Ouvidorias  - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Ouvidorias - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Você sabe o que é a RN 323? A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) determina através da Resoluç&atil...
ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

  A Troca de Informações na Saúde Suplementar - TISS foi estabelecida como um padrão obrigatório para as tro...
Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Seguindo uma forte tendência na área de produtos e serviços de TI para empresas, a Fácil Informática está ofe...
 FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

O seu software vira outro tipo de sistema quando você mais precisa? Auge das vendas, equipes a todo vapor e na hora H ele não funciona c...
A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A  sua agência de turismo opera câmbio vende/compra moeda ou cartão pré-pago de viagem?   O Banco Central do Bra...
FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

O FacGeo é uma ferramenta desenvolvida para o atendimento à Resolução Normativa (NR) 285 da ANS, que permite a divulga&cce...

Despesa pode ser repassada para usuários

 

Os usuários de plano de saúde devem ficar atentos. Com o aumento dos atendimentos na rede de saúde particular por conta da gripe suína, as operadoras já começam a calcular o impacto financeiro da doença e, consequentemente, o repasse para as mensalidades. Cada internação com assistência respiratória integral 24 horas custa entre R$ 10 mil e R$ 12 mil por dia. E a expectativa é que o volume de internação aumente.

"No ano que vem, ao negociar com a Agência Nacional de Saúde Suplementar o reajuste, vamos mostrar as planilhas e pediremos um repasse maior. Já ocorreu com a dengue e deve ocorrer com a gripe suína", diz Eduardo Assis, da Unimed-Rio.

"Isto é uma consequência natural do processo", completa Jorge Antônio Kropf, da Amil, que tem mais de 2,5 milhões de associados em planos médicos individuais e coletivos.

Os reflexos da doença nas planilhas das empresas pode ser sentido, por exemplo, no balanço divulgado ontem pela Amil. Segundo a corretora Fator, a receita líquida da Amil no segundo trimestre foi de R$ 1,1 bilhão, enquanto o lucro líquido registrado foi R$ 600 milhões.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações, na sigla em inglês) ficou negativa em R$ 2,2 milhões.

O aumento de custos com tratamento e prevenção da nova gripe contribuiu para o acréscimo na taxa ajustada de sinistralidade, que chegou a 74,4% no segundo trimestre do ano, 7,1 ponto percentual acima da observada no trimestre anterior e 2,7 ponto percentual a mais do que a taxa no segundo semestre de 2008.

Autorização

O repasse, entretanto, não deve ser automático, a não ser no caso dos planos coletivos, que não são controlados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Por isso, a negociação não deve ser fácil.

"Acho difícil conseguir repassar esse aumento nos planos individuais, que são controlados pela ANS", diz Arlindo Almeida, presidente da Abramge, entidade que reúne as empresas de medicina de grupo. Nos planos coletivos, o reajuste é negociado livremente entre as partes.

Fonte: Plurall - 17/08/09

Share

Comment function is not open