Categorias

Arquivo

Tweets

Parceiros

FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

Com o FacPlan, você tem as ferramentas que precisa para  aperfeiçoar o relacionamento com os clientes, reduzir custos e melhorar seu...
FacCred - Software para Instituições Financeiras

FacCred - Software para Instituições Financeiras

O FacCred é um software integrado de gestão empresarial ERP, desenvolvido para automatizar de forma flexível, segura e altamente ...
Ouvidorias  - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Ouvidorias - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Você sabe o que é a RN 323? A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) determina através da Resoluç&atil...
ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

  A Troca de Informações na Saúde Suplementar - TISS foi estabelecida como um padrão obrigatório para as tro...
Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Seguindo uma forte tendência na área de produtos e serviços de TI para empresas, a Fácil Informática está ofe...
 FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

O seu software vira outro tipo de sistema quando você mais precisa? Auge das vendas, equipes a todo vapor e na hora H ele não funciona c...
A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A  sua agência de turismo opera câmbio vende/compra moeda ou cartão pré-pago de viagem?   O Banco Central do Bra...
FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

O FacGeo é uma ferramenta desenvolvida para o atendimento à Resolução Normativa (NR) 285 da ANS, que permite a divulga&cce...
Fácil Informática no Sinplo 2014

Fácil Informática no Sinplo 2014

A 9ª edição do SINPLO - Simpósio Internacional de Planos Odontológicos e Feira de Negócios para as operado...

Ressarcimento de perdas com planos econômicos afetaria oferta de crédito, diz Febraban


“Aplicamos os percentuais que vêm sendo concedidos pela Justiça e atualizamos pela mesma remuneração das poupanças até este ano. Foi a partir desse cálculo que chegamos aos R$ 100 bilhões”, explicou, em entrevista à Agência Brasil.

Seriam cerca de R$ 14 bilhões referentes ao Plano Bresser, R$ 28 bilhões do Plano Verão, R$ 43 bilhões do Collor 1 e R$ 14 bilhões do Collor 2.

Ainda que somente cerca de 10% das pessoas afetadas pelos quatro planos econômicos tenham recorrido à Justiça até agora, o gerente da Febraban ressalta que “não se pode esquecer das ações coletivas, que abrangem um universo incalculável de pessoas beneficiadas”. Um exemplo é o de uma ação coletiva iniciada pela Defensoria Pública do Rio Grande do Sul, “e a sentença foi de que os bancos têm que depositar todos os valores para todos os poupadores da época, mesmo que estes não provoquem a Justiça”.

Além do impacto na oferta de crédito, Antonio Carlos Negrão destaca que os contribuintes poderão ter que arcar, indiretamente, com esses custos. “Se os bancos vierem a pagar esses valores, eles poderão depois cobrar da União, fora o impacto fiscal imediato, pois, na redução dos lucros dos banco,s a União já perde porque menos impostos serão recolhidos”, explicou.

Ele negou, ainda, que os bancos tenham se beneficiado com as mudanças nos índices de reajuste da poupança, integrando a diferença ao seu capital líquido. “O mesmo índice que foi aplicado à poupança foi aplicado aos financiamentos imobiliários, que são a contrapartida da poupanças, ao compulsório dos recursos que estavam no Banco Central. O índice também foi aplicado aos títulos federais.”

Negrão lembrou que 65% dos recursos da poupança devem ser aplicados em financiamento imobiliário, e mais um percentual no compulsório. “O banco não ficou com nada, e é por isso que esses valores que estão sendo pleiteados na Justiça vão ter que sair o patrimônio líquido dele, porque não existe uma reserva onde isso ficou aplicado”, concluiu.

Fonte: Ana Luiza Zenker
Agência Brasil

Share

Comment function is not open