Categorias

Arquivo

Tweets

Parceiros

FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile – Sua empresa na palma da mão

FacMobile + FacCred O FacMobile cria a conexão perfeita entre as instituições financeiras e seus associados/clientes. Uma fe...
FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

FacPlan - Software para Operadora de Plano de Saúde

Com o FacPlan, você tem as ferramentas que precisa para  aperfeiçoar o relacionamento com os clientes, reduzir custos e melhorar seu...
FacCred - Software para Instituições Financeiras

FacCred - Software para Instituições Financeiras

O FacCred é um software integrado de gestão empresarial ERP, desenvolvido para automatizar de forma flexível, segura e altamente ...
Ouvidorias  - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Ouvidorias - Sua operadora já está atendendo aos requisitos da ANS?

Você sabe o que é a RN 323? A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) determina através da Resoluç&atil...
ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

ANS disponibiliza arquivos da versão 3.02.00 do Padrão TISS

  A Troca de Informações na Saúde Suplementar - TISS foi estabelecida como um padrão obrigatório para as tro...
Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Computação em Nuvem: Solução para seu banco de dados e servidor

Seguindo uma forte tendência na área de produtos e serviços de TI para empresas, a Fácil Informática está ofe...
 FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

FacCard - Sistema eficiente para Administradoras de Cartões

O seu software vira outro tipo de sistema quando você mais precisa? Auge das vendas, equipes a todo vapor e na hora H ele não funciona c...
A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A sua agência de Turismo está atendendo as exigência do Banco Central?

A  sua agência de turismo opera câmbio vende/compra moeda ou cartão pré-pago de viagem?   O Banco Central do Bra...
FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

FacGeo - Divulgue sua rede assistencial e atenda à RN 285

O FacGeo é uma ferramenta desenvolvida para o atendimento à Resolução Normativa (NR) 285 da ANS, que permite a divulga&cce...

A academia e a transnacionalização dos negócios

Mesa-redonda do V Encontro de Pesquisadores Latino-americanos de Cooperativismo abordou "A importância do ambiente institucional para a transnacionalização de negócios”

A demanda dos países desenvolvidos por matéria-prima, principalmente com fins energéticos, é cada vez maior e as cooperativas dos países em desenvolvimento e que atuam nesse setor devem aproveitar a oportunidade para conquistar mercados. Mas é preciso agregar valor a seus produtos e a mudar sua forma jurídica. A análise foi feita Rainer Kuehl, diretor do Instituto de Cooperativas Rurais da Alemanha. Para ele, é fundamental que as cooperativas brasileiras se reestruturem para se adaptar ao mercado externo. Um dos maiores entraves para a realização de parcerias entre cooperativas, de joint-ventures, ou mesmo para captar recursos externos, é que as cooperativas nacionais são focadas na figura do cooperado. Segundo o professor de Gestão de Cooperativas da PUC do Paraná, Roberto Protil, a tendência mundial é que as cooperativas foquem no capital.

As cooperativas norte-americanas já se encontram nesse estágio. As cooperativas européias estão em fase de transição, numa posição intermediária, e as brasileiras ainda se encontram presas numa estrutura organizacional cujo foco principal é o cooperado. Segundo Protil, o assunto está em discussão no Congresso Nacional. A forma jurídica adotada pelo Brasil e outros países da América Latina, inibe a captação de recursos externos para investimentos. “Os associados de uma cooperativa alemã, na hora de decidir investimentos, questionariam porque os recursos de sua cooperativa vão financiar cooperados brasileiros ao invés de financiarem cooperativas em seu próprio país”, analisa Kuehl.

“Se uma cooperativa abre seu capital, por exemplo, se torna uma empresa, fica mais fácil fazer negócios”, afirma. E dá um exemplo de como o mercado externo, principalmente o europeu, espera por essas mudanças: a Cooperativa Agrária de Guarapuava, no Paraná, fez parceria com a empresa alemã Irecks e criou a Irecks do Brasil, um moinho que processa o trigo produzido pela cooperativa e fabrica farinhas especiais que alimentam padarias e indústrias alimentícias européias.

A Europa está em processo de abertura nas negociações agrícolas mundiais, mais do que os Estados Unidos, segundo Kuehl, e as cooperativas européias se vêem obrigadas a aumentar sua competitividade. Ele vê nesse processo uma excelente oportunidade para atuação das cooperativas brasileiras e latino-americanas.

Kuehl participou, nesta quinta-feira, da primeira mesa-redonda do V Encontro de Pesquisadores Latino-americanos de Cooperativismo, promovido pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP), que abordou “A importância do ambiente institucional para a transnacionalização de negócios”. O evento vai até sexta-feira. A iniciativa tem o patrocínio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop).

Fonte: brasilcooperativo.coop

Share

Comment function is not open